22 de fevereiro de 2010

CONSEQUÊNCIAS DA FOME NO ORGANISMO

Quando a pessoa para de se alimentar, deixa de fornecer
ao corpo a energia garantida pela glicose. Sem as calorias
dos alimentos, o organismo automaticamente busca  suas 
reservas,  ou seja,  começa  a  "queimar gordura" para  se
manter vivo. Após  consumir  toda  gordura  do  corpo,
resta  ao  organismo  retirar  energia  dos  músculos . O
corpo é capaz de transformar  sais minerais  e proteínas
musculares em glicose. Nessa fase, a pessoa perde mas-
sa muscular  até ficar em pele e osso. E  sem  energia  o 
cérebro  também  vai  perdendo  sua  capacidade de co-
mandar o corpo. A pessoa  sente  tonturas, enjôos,  náu-
seas e tem dificuldades para raciocinar. E quando perce-
be que tem pouco combustível para  manter  o organismo
em atividade, o cérebro começa a enviar sinais para que
cada órgão economize energia e passe a trabalhar menos.
Assim, caem os níveis da produção de substâncias funda-
mentais como enzimas e hormônios. Na infância, a perda
dessas substâncias  retarda o  desenvolvimento  cerebral,
com  consequências  irreversíveis.  Na  adolescência,  a
queda  na  produção  de  hormônios afeta o crescimento
do indivíduo. Finalmente, se o organismo usar seus pró-
prios recursos (energia acumulada) até o esgotamento e
a situação  de  fome  persistir,  o organismo   para  e  a
e a pessoa morre.
Desnutrição: causada  por  uma  dieta  inadequada  ou
carente de nutrientes importantes (vitaminas e minerais).
Estima-se que no mundo milhões de  crianças  menores
de 5 anos têm desnutrição causada por diversos fatores,
normalmente associados à pobreza e a falta de alimentos.
              Consequências da Desnutrição:
Marasmo Nutricional - Caracteriza-se por baixo peso,
ausência  de  tecido  adiposo  subcutâneo (gordura)     e
evidente  debilidade muscular .
Nanismo Nutricional - crianças que sobrevivem a des-
nutrição protéica energética, frequentemente demonstram
sinais de nanismo, ou seja, aparentam ser mais jovens do
que  sua  idade cronológica, embora  expressões   faciais
possam ser mais madura.
Xeroftalmia - (deficiência de vitamina A). Os sinais da
avitaminose A, são  predominantemente  oculares. E é a
causa mais importante de cegueira em  países  subdesen-
volvidos e em desenvolvimento.
Beribéri - (deficiência de vitamina B1). Apresenta  alte-
rações nervosas , cerebrais e cardíacas.
Escorbuto - (deficiência de ácido ascórbico - Vit. C ).
Baixa  da  imunidade,  tecidos e  capilares  fracos, com
sangramentos na pele e nas gengivas, que ficam inchadas
e de coloração  azul-avermelhada,  etc.
Raquitismo - (deficiência de vitamina D - calciferol). A
vitamina D, facilita a  absorção  do cálcio e  do fósforo,
para a formação dos ossos. Nas crianças com carência
da vit. D, os ossos não se calcificam adequadamente  à
medida que crescem, tornando-se dobraveis e deforma-
dos , como joelho inclinado para dentro.
Anemias Nutricionais -   ( deficiência  do  mineral   -
ferro e  da vitamina B12). Anemia - quando a concen-
tração   de   hemoglobina  (proteína  do  sangue  que
transporta oxigênio) diminui em níveis abaixo do normal.
Tipos de anemia devido a  alimentação inadequada:
Ferropriva - devido a carência de ferro.
Perniciosa - devido a carência de vitamina  B12  e de
ácido fólico (folato).

2 comentários:

Rômulo Ventura disse...

Muito bom! Vai me ajudar em um juri simulado da faculdade;)

Juliana Lopes disse...

nossa amei vai me ajudar muito em um trabalho escolar, muito obrigado eu procurei por muitos dias e não estava achando o que eu precisava, mas agora achei parabéns e mais uma vez obrigado.

Postar um comentário

SEU COMENTÁRIO É MUITO IMPORTANTE!