sexta-feira, 17 de novembro de 2017

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Plaquinhas para Identificação de Plantas

Plaquinhas de Material Reciclado

Materiais:
Pote quadrado de sorvete, lixa  e  caneta para cd.

Como Fazer:
Recorte no modelo desejado, lixe  onde irá escrever
 (lixando, a tinta da caneta fixa no plástico
 e não desaparece quando molhar).


Pote de sorvete utilizado para
 confeccionar as plaquinhas.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Estudo Conclui: Maior grau de Instrução está relacionada ao tamanho dos telômeros e consequentemente ao tempo de vida.

Estudar é um hábito saudável e pode prolongar a vida 
Mais anos de estudo podem representar não apenas sucesso profissional e estabilidade financeira. Uma pesquisa britânica chegou à conclusão de que estudar significa também qualidade de vida e, portanto, quanto mais educado é um cidadão maiores as chances de ele viver mais.
O estudo, divulgado no periódico Brain Behaviour e Immunity, foi realizado por cientistas da University College London, com 400 homens e mulheres na faixa etária dos 53 aos 75 anos. Foram colhidas amostras de DNA e analisadas as extremidades - chamadas de telômeros - dos cromossomos.
Os resultados indicaram que aqueles que não tinham formação universitária apresentavam um telômero mais curto, sinal de um envelhecimento mais avançado do que aqueles que haviam cursado a universidade e conquistaram títulos acadêmicos.
Segundo os pesquisadores, a educação permite que a pessoa tome as melhores decisões quando o assunto é a sua saúde. Por isso, quem tem menos instrução acaba fumando mais, tem menos acesso a tratamentos de boa qualidade e se exercita menos. E esses hábitos estão muito mais  relacionados ao nível educacional do que à classe social e à renda dos indivíduos, observa o estudo.
Além disso, pessoas um grau de instrução maior estão mais aptos a lidar bem com situações de stress, que tendem a não se prolongar. "A educação é um marcador de classe social que as pessoas adquirem logo no início da vida. Nossa pesquisa sugere que, longo prazo, é a exposição às condições de um status mais baixo que promove o envelhecimento celular acelerado", segundo o pesquisador Andrew Steptoe.